A VLI, empresa que administra o Tiplam (Terminal Integrador Portuário Luiz Antonio Mesquita), na Baixada Santista, movimentou, até novembro, mais de 8,8 milhões de toneladas de grãos e fertilizantes no terminal. Essa marca representa um aumento superior a 20% na comparação com as 7,3 milhões de toneladas registradas em 2017.
O crescimento se dá pela liberação para carregamento completo de navios panamax e devido à integração do modal ferroviário com o porto, já que 100% da carga exportada chega pelos trilhos, tornando o processo de escoamento mais ágil. A finalização do berço 4, responsável pelo incremento de fertilizantes, também impulsionou o bom desempenho.

Tiplam

Mais agro
O acumulado de produtos do agronegócio exportados pelo terminal, como soja, milho e açúcar, supera as 5,5 milhões de toneladas do total de 8,8 milhões. Em 2017, esse grupo de itens alcançou a marca de 4,7 milhões de toneladas. Toda carga transportada pelo Tiplam faz parte de uma importante rota de escoamento da produção agrícola nacional formada pela Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) e por terminais integradores da VLI, que movimentam grãos e açúcar, em Uberaba, no Triângulo Mineiro, e em Guará, no interior de São Paulo. As estruturas recebem, respectivamente, 1.200 e 300 caminhões por dia e fazem o transbordo das cargas para os vagões dos trens, que seguem pela FCA até à Baixada Santista.

A VLI concluiu este ano um aporte de R$ 2,7 bilhões na ampliação do Tiplam e agregou 12 milhões de toneladas em capacidade ao complexo portuário de Santos. Por ano, o empreendimento pode exportar 9,5 milhões de toneladas de grãos e açúcar, além de importar cinco milhões de toneladas de fertilizantes, enxofre e demais produtos. “Temos uma infraestrutura diferenciada capaz de oferecer eficiência ao mercado na hora de enviar os produtos para o exterior e também para receber fertilizantes. Os números são positivos e temos potencial para contribuir mais com o agronegócio brasileiro”, destaca Leopoldo Gimenes, gerente geral do Tiplam.

Parceria Tereos
Essa logística integrada chamou a atenção da multinacional francesa Tereos, segunda maior produtora de açúcar do mundo. Em junho deste ano, fechou acordo de 30 anos para o transporte da commodity pelos trilhos. Para viabilizar o acordo, a Tereos e a VLI estão investindo na construção do sexto armazém no Tiplam com capacidade para armazenamento de 114 mil toneladas, além de outro no Terminal Integrador da companhia em Guará, com capacidade de 80 mil toneladas.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s