Situado no litoral norte de Santa Catarina, o Porto de Itajaí é o único terminal municipalizado do país, sendo considerado um dos mais operantes. Desde janeiro, seu superintendente é o advogado e ex-prefeito de Blumenau, Décio Nery de Lima. Com 44 anos, casado e com dois filhos, concedeu entrevista para a série de reportagens Portos do Brasil.

 

PortoGente: Quando o porto foi municipalizado? Quais foram os benefícios e de quanto é o investimento municipal no porto?

Décio Lima: O Ministério dos Transportes passou provisoriamente a administração do porto ao município em 1995. Dois anos depois, a municipalização foi oficializada por 25 anos, podendo ser prorrogada por igual período. Os benefícios foram enormes. Basta dizer que as decisões referentes ao terminal eram tomadas longe de Itajaí, por quem não conhecia a cidade e sua dinâmica. Hoje elas são tomadas in loco, por quem sente na pele as conseqüências. Ficamos mais ágeis e muito mais competitivos. O investimento municipal no porto é total. O planejamento leva em conta as necessidades de crescimento do porto. O objetivo do prefeito Volnei Morastoni é fazer com que a cidade e o porto cresçam juntos, agregando cada vez mais valor a essa relação.

 

PortoGente: Itajaí é o maior exportador de cargas congeladas. Quais são as mercadorias, para onde são exportadas e qual é o movimento anual?

Décio Lima: Exportamos carnes congeladas, principalmente frango. Nossos maiores compradores são os Estados Unidos, países árabes e comunidade européia. Também temos uma fatia do mercado asiático. No primeiro semestre de 2005 exportamos mais de um milhão de toneladas de carnes congeladas.


PortoGente: Qual é o volume de cargas conteinerizadas?

Décio Lima: O Porto de Itajaí é o segundo do país em movimentação de contêineres para longo curso (LC), segundo o Centro Nacional de Navegação Transatlântica (Centronave). No primeiro semestre de 2005 a movimentação de contêineres aumentou 26% em relação ao mesmo período de 2004. Em seis meses passaram por Itajaí 332.096 TEU´s (twenty-feet equivalent unit, sigla internacional para unidades de contêineres de 20 pés de comprimento). Esse tipo de carga somou três milhões de toneladas de mercadorias no período, equivalente a 94% do desempenho do terminal.


PortoGente: Recentemente o Terminal de Contêineres Vale do Itajaí (Teconvi) adquiriu um scanner chinês para contêiner. Como será utilizado?

Décio Lima: O Plano Nacional de Segurança Aduaneira prevê a implantação de uma série de medidas de segurança nos portos brasileiros. Uma delas é a utilização de um equipamento de raios-X como este que será usado em Itajaí. O scanner diminuirá em 90% a abertura de contêineres para retirada de mercadoria para inspeção da Receita Federal. O equipamento trará maior segurança à mercadoria e agilidade na fiscalização. O processo de abertura de contêiner, retirada de mercadoria e recolocação da mesma pode levar dias. Com o uso do scanner o mesmo processo leva de 10 a 15 minutos. No Brasil até existem equipamentos similares, mas nenhum com a definição de imagens do scanner que está vindo para Itajaí, modelo THSCAN MT 1213 LT.


PortoGente: Qual o índice de acidentes no porto?

Décio Lima: Nosso índice de acidentes é muito próximo a zero. Temos uma equipe de técnicos em segurança do trabalho atuando em tempo integral dentro do terminal. Além disso, o Órgão Gestor de Mão-de-Obra (Ogmo) oferece cursos regulares de segurança, primeiros socorros, combate e prevenção a incêndios, além do uso correto dos equipamentos de proteção individual (EPI).


PortoGente: Itajaí foi o primeiro porto da América Latina a conectar-se à Internet. Como é a relação do porto hoje com a informática?

Décio Lima: Usamos a informática não só como ferramenta interna, mas como facilitadora das necessidades dos operadores. Antes as informações referentes à carga geravam vários documentos entre a origem e o terminal, resultando em uma pilha de papel e carimbos. Agora as mesmas informações circulam em meio eletrônico, através do site do porto, podendo ser acompanhadas a qualquer hora por todos os envolvidos no processo. O resultado é maior agilidade e segurança na entrada de mercadorias no terminal. Também graças à informática ficou mais fácil liberar cargas para exportação e importação através do Porto de Itajaí. O serviço de consulta on-line ao Siscomex (Sistema Integrado de Comércio Exterior) teve sua velocidade aumentada com o intuito de agilizar a movimentação de cargas alfandegadas.

 

PortoGente: A prefeitura investe na qualificação do portuário?

Décio Lima: A lei de modernização dos portos incumbe o Ogmo da qualificação dos trabalhadores. Mas a administração municipal, em parceria com o porto, Ogmo e Universidade do Vale do Itajaí (Univali) está elaborando um amplo projeto para criação de uma escola técnica para trabalhadores portuários.

 

PortoGente: A meta de, até 2005, ser conhecido como o porto brasileiro de maior eficiência da região Sul e Mercosul já foi atingida?

Décio Lima: A meta foi atingida plenamente. Basta dizer que nossos títulos e recordes não nos foram conferidos apenas em comparação aos portos da região Sul, mas em confronto com o desempenho de todos os portos brasileiros, inclusive de Santos, o maior da América Latina. Assim, somos o maior exportador de frango congelado e de maçã do país, o porto com carga de maior valor agregado e com maior crescimento no desempenho financeiro das exportações em relação aos maiores portos brasileiros, no primeiro semestre do ano, em comparação ao mesmo período de 2004. Quanto ao Mercosul, nossa eficiência só não é maior devido ao desempenho do próprio Mercosul, ainda modesto frente ao potencial do bloco econômico.

           

PortoGente: Serão realizados novos investimentos em infra-estrutura? O porto possui espaço físico para crescer?

Décio Lima: O Porto de Itajaí foi contemplado com R$ 46,7 milhões do governo federal, através da Agenda Portos. Com os recursos será possível iniciar a construção da via exclusiva para caminhões de cargas e melhorar o acesso aquaviário para receber navios de até 270 metros. O Teconvi vai investir outros R$ 95 milhões, conforme cláusulas do contrato de arrendamento. Os recursos serão destinados principalmente à criação de mais um berço para atracação de navios e para aquisição de equipamentos, como mais um guindaste MHC e dois portêineres (ship-to-shore), todos de alta performance para movimentação de contêineres. Também serão feitos quatro novos gates (entradas com balanças para passagens de caminhões) e o Centro Integrado de Atendimento, apelidado de Exporta-Fácil, já que reunirá em um mesmo espaço todos os órgãos envolvidos com a logística e liberação da carga. O espaço físico do porto será ampliado com a aquisição de três novas áreas, no total de 70 mil m².

 

PortoGente: Crescimento econômico e preservação do meio ambiente. Uma relação difícil?

Décio Lima: Ao contrário, é uma relação necessária. É uma questão de ver o meio ambiente com a mesma importância dos demais investimentos. Em Itajaí, em 40 anos de porto organizado, nunca houve uma única licença ambiental. Nós mudamos isso e hoje temos licenças ambientais para todas as operações. Nosso projeto de Gestão Ambiental é acompanhado pela Univali. Na minha opinião, os recursos destinados ao meio ambiente são investimentos em qualidade de vida da população atual e das futuras gerações.

 

PortoGente: Em junho, a prefeitura lançou o programa Porto Saudável. Fale sobre o projeto.

Décio Lima: Itajaí já foi chamada de capital brasileira da Aids. Hoje é reconhecida como cidade referência no país em prevenção da doença. Implantamos no terminal o Porto Saudável, aplicado pela Secretaria Municipal de Saúde, para prevenção às DST/Aids. A estrutura física foi montada em um contêiner adaptado que, para facilitar o acesso do público alvo, foi instalado dentro do cais. Além de informações para todos os trabalhadores e usuários, inclusive caminhoneiros, o programa pretende oferecer exames gratuitos e orientação para os casos positivos. É nossa obrigação cuidar da saúde dos trabalhadores do terminal. Vale ressaltar que as informações referentes aos exames e consultas serão sigilosas.

 

PortoGente: O que o futuro reserva para o Porto de Itajaí?

Décio Lima: Se o futuro for proporcional ao nosso empenho e determinação, o Porto de Itajaí será reconhecido como porto de maior eficiência, agilidade e segurança da América Latina.

 

Fotos: Assessoria de Comunicação do Porto de Itajaí.

Website: www.portoitajai.com.br

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s