Anna Valle* Fundadora da Quattro e filiada ao LIDE FUTURO

O início da pandemia do novo coronavírus no Brasil estimulou a aceleração da adoção de iniciativas digitais em todos os setores da economia. O supply chain acabou sendo um dos segmentos mais impactados, devido a necessidade de abastecimento para indústrias, empresas e toda população. Os diversos desafios e dificuldades em se controlar as cadeias de suprimento evidenciaram a necessidade da Transformação Digital na Logística e, mais do que isso, mostraram que esta transformação é, na realidade, mais do que uma necessidade, mas uma grande oportunidade para as empresas.

Durante muito tempo, as empresas se preocuparam em otimizar e melhorar fluxos e processos industriais com grandes e importantes avanços, com o uso de robôs, equipamentos, máquinas e diversas metodologias, filosofias e ferramentas como Lean, Six Sigma, TOC, entre outros. E a logística foi ficando "de lado", muitas vezes sendo vista como um "mal necessário", ou "apenas mais um centro de custos". E aí está a grande oportunidade!

A logística na verdade é uma área estratégica, um grande diferencial competitivo: é a interface com os clientes, internos e externos, representa grande parte da experiência de compra e de atendimento e, somado a isso, ainda é uma área com grandes desperdícios. O Brasil registra uma das maiores despesas de logística do mundo e grande parte destes custos são custos de ineficiências dos processos.

Recentemente uma amiga me ligou impressionada, contando que havia feito uma troca de pontos de cartão de crédito por 12 pratos em uma grande loja de departamento. Como era uma transação do cartão, pela regra, ela precisou fazer um pedido por vez. O espanto dela foi que, numa bela tarde de quarentena, tocaram a campainha da casa dela, era um entregador com 1 prato devidamente embalado e etiquetado. E assim, foram 12 entregas diferentes, do mesmo local, para o mesmo endereço, na mesma tarde, um por vez. Seria cômico se não fosse trágico. Imagina o desperdício no pedido, no "picking", no "packing", no transporte efetivo, nos materiais. E este é apenas um exemplo do que ocorre diariamente em todos os elos, etapas e com todos os "players" dessa cadeia logística.

Mas como a transformação digital pode ajudar nisto?!

A cadeia de suprimentos é composta por 3 grandes fluxos: o fluxo de materiais, o fluxo financeiro e o fluxo de informações. Porém, esses três fluxos são muito desconectados e desintegrados. Por se tratar de diferentes intervenientes, diversas etapas, muitos processos e sistemas, as informações ficam fragmentadas e se perdem nas interfaces entre as operações. É como um grande quebra-cabeça com peças soltas e cheio de complexidade.

A transformação digital, por sua vez, vem para juntar todas essas peças que envolvem os processos, conectando os diferentes atores e sistemas e integrando todo o fluxo de informações para trazer mais planejamento, previsibilidade e visibilidade aos processos, democratizar a gestão logística e auxiliar os usuários para a tomada de melhores decisões. É como um "gêmeo" virtual que replica os processos físicos no digital, permitindo reduzir desperdícios e ineficiências que resultam em grandes reduções de custos e aumento da qualidade percebida pelos clientes internos e externos, com a entrega de uma melhor experiência a todos os elos envolvidos na cadeia.

Assim, com todos esses benefícios, e o mindset de que a logística deva ser parte da estratégia das empresas, entendemos que essa Transformação Digital na Logística deve ganhar cada vez mais espaço e evidência, se mostrando muito valiosa e importante para as diversas operações que envolvem a Logística, uma mina de ouro.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente