A Codesp, para atender aos interesses do terminal da Deicmar, promove sem pejo a área comercial da empresa, passando por cima de outra área, a técnica. E entrega a uma subordinada contratada, sem a competência técnica adequada, a realização de estudos de atracação no terminal do Saboó.

 

É uma demonstração da falácia da diretoria técnica do Porto de Santos. Muito provavelmente não haverá transferência do know how técnico como justifica o diretor da área comercial, até porque a patente do software é estrangeira.

 

O que se pretende com essa contratação desse estudo da USP? Viabilizar o  contrato da Deicmar de mais três anos apenas, e que  não atende às especificações de movimentação de veículos de um terminal moderno?

 

Foi justamente por isso, e para suprir essa necessidade do Porto de Santos, que foi autorizado o Terminal de Veículos da Margem Esquerda - TEV.

 

É inquestionável que o terminal da Deicmar é incompatível e um entrave para  o projeto de um Hub Porto de Santos.

 

Tivesse um perfil compatível com a área comercial do maior porto do Hemisfério Sul, o Sr. Carlos Helmut, de formação escolar média, com certeza estaria preocupado em formular uma estratégia, de competência da área em que foi colocado,  para desenvolver a capacidade do porto.  Em vez disso, perde tempo, gera ônus e cria mais turbulência na diretoria da qual faz parte e que passados 10 meses ainda não disse por que veio.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website

O que você achou? Comente