“O decreto já está pronto. Antes dos 180 dias será publicado o decreto do presidente Lula, dando cumprimento à decisão do Conselho Nacional de Desestatização”. As palavras são do ministro-chefe dos Portos, Pedro Brito, ao responder pergunta deste PortoGente sobre quando o governo irá publicar o decreto para retirar as companhias docas do Programa Nacional de Desestatização (PND), conforme Resolução 19 do Conselho Nacional de Desestatização (CND), baixada no dia 26 de dezembro último.

 

O ministro também foi objetivo ao dizer que não existe nenhum movimento contrário a essa retirada do PND, “só existe movimento favorável, nenhum movimento contrário”.

 

Mas o seguro morreu de velho, diz o velho e bom ditado popular. Por isso, lideranças sindicais bem informadas estão de olho nos “passos” de alguns grupos empresariais que querem, sim, a privatização dos portos públicos. Esses empresários alegam que é para ter mais eficiência.

 

Na solenidade em que recebeu o Prêmio Personalidade PortoGente 2007, na noite desta quinta-feira (6), na Pinacoteca Benedicto Calixto, em Santos, Pedro Brito disse que ele só vê os portos de um jeito: “o porto tem que ser um equipamento público”.

 

Brito refutou qualquer hipótese de privatizar os portos brasileiros e garante que irá modernizá-los e dotá-los de eficiência

 

Leia também

* Em cerimônia plural, Pedro Brito recebe o prêmio Personalidade PortoGente

* Autoridades apontam que Brito proporcionou ‘novos ares’ ao setor

* Dirigentes e empresários comentam premiação de Pedro Brito

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website