Terça, 18 Junho 2024

Ter um relacionamento durável pode parecer um sonho inatingível para muitas pessoas. Falta de comunicação, desconfiança e estresse podem ocasionar problemas conjugais que levam à insatisfação amorosa e aos términos. No Brasil, cerca de 380 mil pessoas se divorciaram em 2023, de acordo com dados do Colégio Notarial do Brasil (CNB). O número representa um aumento de 16% em relação ao ano anterior.

O rompimento pode causar diversos impactos negativos na vida das pessoas, como baixa autoestima, depressão, ansiedade e, até mesmo, isolamento social. Mas, há algumas maneiras de preservar e melhorar a qualidade dos relacionamentos afetivos.

O Yoga é uma das recomendações. A prática milenar segue com força total nos dias de hoje. No mundo, há, pelo menos, 300 milhões de praticantes, segundo dados do The National Health Interview Survey. Mas o que muitas pessoas não sabem é que a atividade vai muito além das posturas e técnicas de respiração.

O professor de yoga Leandro Castello Branco explica que é possível levar os ensinamentos da prática para fora das aulas, incluindo as relações amorosas, familiares e de amizade. "Na verdade, o Yoga não é feito para corrigir os relacionamentos de ninguém. No entanto, isto acaba acontecendo", pontua. "Da mesma forma que não é feito para corrigir os problemas psicológicos, mas conforme você entra no caminho do Yoga, as coisas vão se ajustando e você nem sabe direito o porquê", completa.

A prática é baseada em uma filosofia que prega sobre a integração entre corpo, mente e espírito. Para isso, há um conjunto de técnicas que envolvem postura, respiração, mantras indianos, meditação, ética e moral. A filosofia teve origem na Índia, há mais de 5 mil anos, sendo um dos seis pontos de vista clássicos das antigas escolas de pensamento indianas.

O Yoga busca alcançar o autoconhecimento, a autorrealização, a libertação com o sofrimento e a união com o absoluto. Dessa forma, propõe um caminho de oito passos, chamado de Ashtanga Yoga, que são: Yama, Niyama, Asana, Pranayama, Pratyahara, Dharana, Dhyana e Samadhi, sendo que os dois primeiros são os que fazem mais diferença nas relações interpessoais.

O que significa construir um relacionamento saudável?

Quando se fala em construir um relacionamento saudável, é comum que as pessoas se enganem ao pensar que se trata de uma convivência livre de conflitos. Entretanto, a psicóloga, sexóloga e especialista em casais, Marcela Benati, explica que todos os relacionamentos passam por um período de divergências e estranhamentos.

"É necessário ter em mente que todo mundo tem um pouquinho de toxicidade, então, é preciso se autovigiar. Quando a gente não está bem, a tendência é derramar no outro o que estamos sentindo", disse em entrevista à imprensa.

Leandro Castello Branco, que também é responsável por cursos para professores de Yoga, analisa como as expectativas em um relacionamento podem ser prejudiciais. Ele explica que as pessoas sentem um vazio dentro de si e buscam preenchê-lo com a presença e afeição dos outros.

Para ele, o Yoga convida as pessoas a reconhecerem que a felicidade verdadeira só pode ser encontrada dentro delas mesmas. Quando percebem isso, podem deixar de colocar expectativas irreais em seus relacionamentos. “Isso não significa que as pessoas ao nosso redor não possam nos trazer alegria ou satisfação, mas sim que não devemos depender delas para nossa própria felicidade e bem-estar.”

Quem tem interesse em conhecer a prática pode buscar por aulas em estúdios e academias. Hoje, é possível encontrar a oferta de Yoga em diferentes cidades de todas as regiões do país. Para aqueles que já conhecem a filosofia e desejam aprofundar os conhecimentos, uma possibilidade é buscar orientações sobre como ser professor de Yoga. Há cursos específicos na área que preparam quem deseja transmitir os conhecimentos e os valores da prática adiante.

 

Curta, comente e compartilhe!
Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

Deixe sua opinião! Comente!