Para manter uma vida financeira positiva e fazer bons investimentos, é preciso estar ciente de uma série de coisas. Quem está insatisfeito com a sua Previdência atual e deseja migrar, por exemplo, pode consultar informações acerca do Itaú portabilidade e de outras opções igualmente interessantes do mercado.

Isso não é tudo, claro. Existem diversas atitudes e escolhas que podem ajudar na manutenção da saúde financeira e do bem-estar orçamentário: tomar cuidado com as contas do cartão de crédito, evitar parcelar faturas e estar atento às datas de vencimento são algumas delas.

Para além disso, existe um fator que, embora pouco abordado, também impacta no saldo: as taxas bancárias. Atreladas a pequenos e grandes serviços, elas passam despercebidas em alguns momentos. Isso não significa, porém, que não possam causar estrago.

A seguir, daremos dicas para que você possa pagar menos taxas bancárias. Confira!

Taxas bancárias: conheça as mais comuns

Antes de abrir a sua conta, é importante que você se informe sobre as tarifas cobradas. Se você já tem uma conta e não sabe disso, vale entrar em contato com a sua instituição financeira e pedir informações neste sentido.

Algumas das tarifas mais comuns são:

Emissão de saldos e extratos;

Transferências bancárias para outras instituições (geralmente as instituições não cobram em transferências internas);

Saques em caixas eletrônicos;

Emissão de talão de cheques;

Segunda via de cartões.

Confira quais são as tarifas opcionais; por elas, você não é obrigado a pagar. Para além disso, saiba exatamente qual é o valor de cada transação: desta forma, você poderá identificar qualquer irregularidade que vier na fatura do seu cartão.

Uma dica: saiba quais são os limites dos serviços contratados. Há pacotes de serviços que oferecem um número gratuito de saques em caixas eletrônicos, consulta de extrato ou transferências, por exemplo. Na prática, você será cobrado sempre que ultrapassar esses limites - e os valores dessas cobranças podem ser altos.

Contas de serviços essenciais

Serviço padronizado pelo Banco Central, existem dois tipos de contas essenciais: a conta corrente gratuita e a conta poupança.

Os serviços listados a seguir devem ser oferecidos por qualquer banco, para os dois tipos de conta citados:

Conta corrente:

10 folhas de cheque e compensação de cheques;

consultas ilimitadas à conta, desde que por meio digital (internet banking);

4 saques em caixa eletrônico;

2 extratos mensais, impressos;

2 transferências entre contas da mesma instituição;

2 transferências entre contas da mesma titularidade;

cartão com função débito.

Conta poupança:

Consultas ilimitadas em meio digital;

2 transferências entre contas do mesmo titular;

2 saques em caixa eletrônico;

cartão para utilizar a conta;

2 extratos mensais, em papel.

O que está fora dessa lista é cobrado a parte. E os valores, como sabemos, variam bastante de instituição para instituição. Não é raro que, apenas de tarifas, cheguemos a pagar algumas dezenas de reais.

Como pagar menos tarifas em bancos

Primeiro, revise os serviços contratados. Se você não sabe quais são os seus, já está errado: você precisa saber exatamente pelo que está sendo cobrado, mês após mês, para não ser lesado ou pagar pelo que não usa.

Entre em contato com a sua instituição financeira, verifique os serviços ativos e, caso seja necessário, cancele aqueles que não utiliza e que são cobrados mensalmente.

Outras formas de economizar dinheiro e diminuir as tarifas são:

optar pela conta poupança: embora os serviços sejam limitados, você pode usufruir de diversos benefícios sem pagar mais por eles;

abrir conta em um banco digital, como o Nubank, o Next ou o Banco Inter, uma vez que fintechs tendem a não cobrar taxas para serviços básicos, como transferências, e permitem que você consulte seu extrato ou saldo quantas vezes você quiser, sempre pela internet;

pagar as suas contas pela internet, através de um boleto digital. Contas que chegam fisicamente à sua casa também são cobradas; assim, optar por cobranças feitas por e-mail, através do envio de boletos, é uma opção ecológica e, ao mesmo tempo, financeiramente inteligente;

evite consultar o seu saldo ou pedir extrato da sua conta por vias tradicionais, ou seja, a partir de um totem eletrônico. Quando você faz consultas pela internet, não precisa pagar por elas; a versão impressa, no entanto, é cobrada após ser solicitada por um certo número de vezes;

faça saques em datas específicas do mês e evite pagar as coisas em dinheiro: hoje, existem muitas opções para quem deseja andar apenas com um cartão;

converse com o seu gerente sobre a anuidade do cartão, caso ela exista, e negocie: em muitos casos, é possível zerá-la ou derrubá-la de forma bem significativa!

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente