Diversas autoridades políticas e do setor portuário prestigiaram a entrega do prêmio Personalidade PortoGente 2007 ao ministro-chefe da Secretaria Especial de Portos (SEP), Pedro Brito. Todos os entrevistados pela reportagem do site foram unânimes em afirmar que a atividade ganhou novos ares com a criação da Secretaria com status de ministério e com o comprometimento de Brito com todos os intervenientes do segmento.

O diretor-executivo da Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados (Abtra), José Roberto Sampaio Campos, é enfático e diz que o ministro é a comunidade portuária em pessoa. “Em um curto espaço de tempo, ele conseguiu se transformar em um portuário. E isso é raríssimo, posso dizer com minha experiência no setor”. Campos afirma que, ao comparar o momento da posse do titular da SEP e a cerimônia de premiação concedida pelo PortoGente, é possível constatar que um político que antes era estranho ao meio, hoje conta com total reconhecimento das pessoas que atuam na área em Santos. “Veja só, essa solenidade conta com a presença de representantes de sindicatos, operadores portuários, importadores, exportadores... é reconhecido por todos”.

 

Pedro Brito é “gente” na boa acepção da palavra e um divisor de águas para os portos brasileiros. Essa é a definição do homenageado para o secretário municipal de Assuntos Portuários e Marítimos, Sérgio Aquino, que prestigia o ministro dos Portos em todos os eventos realizados na Cidade. “Assim, diria que ‘Personalidade PortoGente’ está coerente com a figura dele”. Aquino destaca o comprometimento de Brito com assuntos que vão além de obras em infra-estrutura e que têm ligação com a responsabilidade social perante ao município. “Ele é ligado nas questões que valorizam Santos e têm apego humano. Podemos ver isso com o apoio à revitalização (dos armazéns 1 ao 8) e ao Cenep (Centro de Excelência Portuária).

Para o secretário municipal, o segmento foi valorizado não apenas com a criação da SEP, mas com a criação da SEP com o ministro no comando da instituição. “Antes, tivemos várias tentativas e chegávamos à conclusão de que as pessoas que conduziam o processo não tinham o comprometimento necessário”.

 

Impor à gestão dos portos um ritmo equivalente à administração de iniciativa privada, explica o presidente da Codesp, José Di Bella Filho, é a principal característica do ministro da SEP. “Ele é obstinado por resultados e conhece bem o seu papel no elo da cadeia logística de todos os portos brasileiros”. Para Di Bella, Brito se caracteriza como executivo que ocupa um cargo público de grande importância, comprometido com o desenvolvimento da realidade da atividade portuária no País.

 

Escolhido como superintendente do Cenep, uma das iniciativas de maior expectativa para 2008, o petista Fausto Figueira indica a seriedade como o ponto que mais lhe chama atenção em Brito, com quem manteve muitas conversas recentemente. “E há quanto tempo o Porto de Santos não clama por seriedade para resolver os seus gargalos?”. De acordo com Figueira, o advento da SEP, aliado ao perfil de Pedro Brito, é uma oportunidade única para uma reviravolta estrutural no maior porto da América Latina.

 

Figueira diz, ainda, que o ministro dos portos fez com que o porto santista fosse “regionalizado de fato”. “Não é apenas o discurso da regionalização. Pedro Brito trouxe a regionalização a Santos, já que o discurso não se personalifica apenas na forma, mas mais pelo conteúdo. E, no conteúdo, ele traz as decisões do Porto à região”.

 

A vice-presidente do Tecondi e diretora da Abtra, Agnes Barbeito, avalia que o ministro está preparado e muito à vontade para comandar o desenvolvimento do segmento. “Pedro Brito tem o perfil, é o homem certo para cumprir a missão que o presidente Lula indicou. Em seu discurso, vimos que ele quer fazer os portos públicos eficientes, a exemplo dos terminais de todo o mundo, e implantar o profissionalismo nas companhias docas”.

 

Como está há menos de um ano no cargo, Agnes crê que é muito cedo para concluir resultados do líder da Secretaria Especial de Portos, mas que ele já está abordando todos os grandes paradigmas dos portos e “trazendo-os à tona para discussão em ambiente democrático”.

 

Reflexão

A ex-deputada e pré-candidata à prefeitura de Santos pelo PSB. Mariângela Duarte, enfatiza que a premiação a Brito merece “profunda reflexão”. “Se o PortoGente, que é um site que tem visão crítica e não costuma contemporizar, escolhe o ministro para ser premiado, alguma razão deve haver. Se o PortoGente, que é rigoroso e exigente, confere ao ministro um prêmio como esse, o fato merece uma profunda reflexão. Ele fez por merecer”.

 

Uma administração, embora ainda no início, muito superior aos responsáveis anteriores pelos portos brasileiros – antes regidos pelo Ministério dos Transportes. Assim o presidente do Sindicato da Administração Portuária (Sindaport), Everandy Cirino, analisou as ações de Brito nos últimos meses. “O Cenep só está saindo por causa dele. Foi o ministro quem tirou os portos do Programa Nacional de Desestatização (PND). E ele, como personalidade, continua simples. Atende pessoalmente às nossas ligações. O cargo não subiu à cabeça dele”.

 

Os sindicalistas Apolinário e Cirino conversam durante o coquetel servido após a cerimônia de premiação

 

Outro representante dos trabalhadores, Robson Apolinário, líder do Sindicato dos Operários e Trabalhadores Portuários (Sintraport), apontou o ato de coragem de Pedro Brito ao, diante de uma platéia seleta e repleta de atores da iniciativa privada, garantir que a privatização dos portos brasileiros está fora de questão. “Ele tem posições avançadas e arrojadas. Isso mostrou firmeza de caráter. Os portos precisam avançar, se modernizar, mas sem esquecer que são bens nacionais e que têm responsabilidades sociais”. Para Robson, o comportamento taxativo do ministro defendendo os portos públicos é louvável. O sindicalista acredita que ele será capaz de dotar os portos de capacidade, garantir desempenho e propiciar um equilíbrio entre todas as partes, sem possibilitar o monopólio da iniciativa privada.

 

O presidente da Associação Comercial de Santos (ACS), José Moreira da Silva, lembra que o ministro se mostrou tão humilde que “ao assumir o cargo disse que não tinha o conhecimento específico do setor, mas que iria cumprir o que foi determinado pelo presidente”. Moreira parabenizou o ministro e a iniciativa de PortoGente ao constatar que Brito está próximo a todos os portos do País, acompanhando tudo o que acontece. “Ele pegou Santos como exemplo porque aqui todos os problemas aparecem mais”. O presiente da ACS aguarda que Brito dê um padrão internacional aos complexos portuários em território nacional, não apenas na infra-estrutura, mas também na competitividade dos preços oferecidos.

 

Representando a administração municipal, o vice-prefeito Antônio Carlos Silva Gonçalves destaca que o ministro, além de ser uma pessoa séria, esbanja competência na liderança do órgão federal. Para ele, embora a responsabilidade que Brito carrega seja enorme, o ministro tem sido muito presente à Cidade e garante, em todas as esferas, uma representatividade que o setor jamais teve. “O ministro atrela desenvolvimento ao Porto de Santos e é uma pessoa gabaritada para levar isso adiante”.

 

 

Leia também

* Em cerimônia plural, Pedro Brito recebe o prêmio Personalidade PortoGente

* Dirigentes e empresários comentam premiação de Pedro Brito

 

Fotos: Amanda Andrade

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s