Nos dias 7 e 8 de novembro, o laboratório Tanque de Provas Numérico, da Universidade de São Paulo (USP), realiza o seminário “Técnicas modernas de projeto de acessos náuticos com base na norma ABNT NBR 13246:2017”. O evento em parceria com o Conselho Nacional de Praticagem (Conapra) marca ainda a renovação do convênio técnico com o conselho e a nova fase do Centro de Simulações Náuticas e Portuárias do laboratório, que vai ganhar um sexto simulador.

 

Inaugurado em 2002, na Escola Politécnica (Poli) da universidade, o Tanque de Provas Numérico é reconhecido internacionalmente no estudo dos sistemas marítimo e offshore. Além do seu tanque de ondas, abriga desde 2013 um centro de simulações com alta tecnologia.

No seminário, especialistas vão discutir a implementação de projetos portuários com base na ABNT NBR 13246:2017 – uma revisão da norma de 1995 com o intuito de que todo estudo de novas obras náuticas seja feito com embasamento técnico mais sólido, análise de riscos e participação de práticos e especialistas das condições locais. Com isso, garante-se que os projetos atinjam mais qualidade e segurança à navegação, além de uso ótimo de recursos durante a execução.

"Sem essa atualização, um canal de acesso de embarcações poderia ser planejado de forma inadequada", exemplifica o professor Eduardo Tannuri, coordenador do centro de simulações. "É uma mudança completa de paradigma. A norma passou de sete para mais de cem páginas. Um dos itens traz a necessidade de testes em simuladores em projetos mais detalhados."

Por meio do convênio com o Conapra, os estudos técnicos de novas operações – como dragagens e terminais – contam com o compartilhamento da experiência dos práticos, que estão na linha de frente das manobras nas chamadas águas restritas. Dessa parceria, já resultaram 85 trabalhos. Muitos são simulados e geram portarias da Autoridade Marítima.

Funcionando desde o ano passado, um dos simuladores de manobras tem 32 projetores do tipo de cinema. O sexto simulador que será entregue em novembro terá 21 televisores 4K de 55 polegadas. Será utilizado para simulações em rebocadores e guindastes offshore, já que é mais imersivo. Inclusive, haverá telas no chão para que se possa olhar para baixo.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s