Em um ano de mudanças e desafios nos cenários nacional e mundial a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) desenvolveu ações para manter a posição do Porto de Santos como o principal complexo portuário da América Latina. São ações e projetos que permitem não somente o recorde da participação na balança comercial brasileira - mesmo em momento de retração econômica -, mas também a preparação do Porto para ser “não somente o maior, mas o melhor porto para se operar”, afirma o diretor-presidente da empresa José Alex Oliva.

Além das atribuições da Autoridade Portuária, a gestão da Codesp sob a atual diretoria está voltada para o fortalecimento da relação porto-cidade. “O Porto está dentro da cidade e a cidade fica junto ao Porto, então é importante que haja uma interação maior entre a cidade e porto em todos os seus aspectos, seja social, cultural, esportivo e ambiental”, explica o presidente.

Focada na qualidade de vida da região, a Autoridade Portuária, em uma de suas primeiras ações do ano, participou, em fevereiro, da mobilização nacional de combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor das doenças dengue, zika e chikungunya. O presidente Alex Oliva destacou a importância da parceria entre porto e cidade, que estabeleceu um rigoroso programa de monitoramento e controle, com um balanço muito positivo de ações promovidas na região do porto e seu entorno.

A ação da Companhia Docas para fortalecer a relação Porto-cidades também foi marcada pelo apoio às entidades da região. “Os projetos sociais que valorizem a Baixada Santista terão um tratamento carinhoso por parte da Codesp” disse Alex Oliva. A empresa destinou parte do seu Imposto de Renda para fundos sociais assistenciais da região. Foram contemplados o Fundo Estadual do Idoso de São Paulo e os Fundos Municipais do Direito da Criança e do Adolescente (FMDCA) das cidades de Santos, São Vicente, Guarujá, Cubatão e Bertioga.

As ações de médio e longo prazo unem-se às ações imediatas que impactam diretamente as comunidades, como o patrocínio de eventos culturais, sociais e esportivos. A Codesp incentiva projetos que, associados à marca Porto de Santos, possam agregar valor frente a um ou mais públicos de interesse, gerando reconhecimento institucional.

A Companhia também busca preservar sua própria memória. Foi firmado convênio com a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) para restauração da locomotiva “Lavoura”, máquina a carvão, de fabricação americana, produzida em 1889. Restaurada, vai voltar a ser exposta no Museu do Porto. No local será construída uma estação de estrada de ferro, também conhecida como gare, para sua conservação.

No relacionamento com outras entidades, um dos destaques foi a aula magna do curso de Gestão Portuária da Faculdade de Tecnologia (Fatec) Rubens Lara da Baixada Santista, ministrada em março pelo diretor presidente Alex Oliva, em evento aberto ao público no terminal de passageiros do Porto de Santos.

O relacionamento com o Exército Brasileiro foi estreitado, com visitas de autoridades militares à presidência da Codesp. É crescente a integração do Exército com a gestão do porto, tendo como exemplo a participação em reuniões na Comissão Local das Autoridades Anuentes do Porto de Santos (Claps).

Na relação permanente com os clientes do Porto de Santos a Codesp retomou as reuniões do Comitê de Logística, participou do Comitê de Usuários de Portos e Aeroportos do Estado de São Paulo (Comus) e do Conselho da Autoridade Portuária (CAP). Também promoveu a reformulação do Plano de Auxílio Mútuo do Porto de Santos (PAM), visando à alteração de sua estrutura de funcionamento e o aprimoramento dos procedimentos de prevenção e atendimento a situações de emergência na área do Porto Organizado. O diretor presidente Alex Oliva afirma que todos os órgãos que integram o PAM devem trabalhar em conjunto, “agir em sintonia, alinhando procedimentos para atingirmos resultados eficazes”.

Na área de Recursos Humanos a Codesp iniciou participação no primeiro Comitê de Gênero do setor portuário. Composto por 16 integrantes e 16 suplentes, faz parte do Plano Nacional de Políticas para as Mulheres (PNPM) do Governo Federal. A empresa promoveu ação com depoimentos de funcionárias que atuam em profissões predominantemente masculinas. Na Companhia Docas as mulheres são cerca de 13% do quadro de pessoal.

A diretoria executiva da Codesp aprovou, ainda, a abertura de concurso público para preenchimento de vagas em diversas funções do quadro de carreiras da empresa, com formações técnico profissionalizantes, ensinos médio e superior. Está prevista, também, a formação de cadastro reserva. O concurso deve ocorrer em 2017.

José Alex Oliva completou em novembro seu primeiro ano na presidência da Codesp. As demais diretorias foram alteradas durante o ano, com mudanças de responsabilidade entre os diretores. Na diretoria Administrativa e Financeira, assumiu o engenheiro Francisco José Adriano, funcionário de carreira da Codesp, que ocupava o cargo de diretor de Relações com o Mercado e Comunidade. Em seu lugar, foi indicado Cleveland Sampaio Lofrano, engenheiro civil de formação, com mestrado em Engenharia de Transportes pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Ele era diretor de Logística na Companhia desde setembro do ano passado.

Modernização da gestão portuária

O Projeto de Modernização da Gestão Portuária (PMGP), iniciada em 2015, continua estruturando a Codesp para atuar com um novo modelo de gestão, objetivando aumentar os padrões de governança, gestão de riscos, conformidade, sustentabilidade e a qualidade dos serviços prestados, gerando benefícios sociais, retorno financeiro para seu custeio e investimentos.

A área responsável pela implementação do PMGP desenvolveu diversas ações que resultaram na execução de 90% do Projeto. Foi também implantado o Escritório de Projetos (PMO), sigla de Project Management Office, no qual novos processos, procedimentos e Instrumentos Normativos foram desenvolvidos.

O acompanhamento de Indicadores de Gestão, de Políticas Setoriais e de Processos está sendo enriquecido com iniciativas para levar ao conhecimento dos colaboradores a aplicação dos novos processos. Dentre as atividades destaca-se a criação do Escritório Itinerante para divulgar os conceitos, processos e procedimentos ligados ao PMGP, assim como a criação de uma Cartilha Orientativa do Escritório de Projetos implementado na Codesp, apresentada em um workshop para todos os diretores e superintendentes da empresa.

Entre outros procedimentos a serem destacados estão a publicação na Intranet das normas e procedimentos da empresa; dos cases de sucesso apresentados nas reuniões mensais do PMGP junto a estrutura de portos do ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil (MTPAC), via newsletter para todas as gerências e coordenadorias da empresa; do processo de honorário variável mensal, atingindo a meta de 100% nos três trimestres consecutivos, com expectativa de que o mesmo aconteça no último trimestre de 2016.