O Porto de Suape chega ao final de 2016 com muitos motivos para comemorar. Com um incremento de 14,93% na movimentação geral de cargas no acumulado de janeiro a novembro deste ano, em relação ao mesmo período de 2015, o atracadouro mantém a curva de crescimento e avança no cenário nacional. A perspectiva é que Suape feche o ano conquistando um novo recorde, atingindo a marca de 22 milhões de toneladas movimentadas. O bom desempenho fez com que Suape alcançasse, entre janeiro e novembro, a 5º posição no ranking nacional de movimentação geral dos portos públicos, subindo uma posição em relação a 2015 e ultrapassando, até o momento, o Porto de Itaqui (MA). Além disso, de acordo com dados da Secretaria de Portos, o Porto pernambucano apresentou a maior taxa de crescimento entre os primeiros 10 portos públicos brasileiros, no comparativo até o último mês de outubro. Os dados anuais de todos os portos nacionais serão consolidados na primeira quinzena de janeiro.

Ainda no cenário nacional, Suape se manteve na liderança na movimentação de cargas por cabotagem entre os portos públicos do País de acordo com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários - Antaq. Num comparativo dos últimos 10 anos, o Porto pernambucano evoluiu em mais de 400% neste tipo de movimentação, passando de 2,8 milhões de toneladas (2005) para 14,2 milhões de toneladas (até novembro de 2016) de cargas transportadas entre os portos nacionais. Em relação a 2015, os números alcançados este ano registram um aumento de 18,09%, no comparativo do período de janeiro a novembro.

Este ano, os embarques somaram 5,31 milhões de toneladas de cargas, enquanto os desembarques, 8,98 milhões de toneladas de cargas. As operações de desembarque de mercadorias para os centros de distribuição da Bosch e da Bic, instalados na região este ano, contribuíram para esse resultado. Os principais estados de origem foram Bahia, São Paulo e Rio Grande do Norte. Como destino, os principais estados foram Ceará e Amazonas.

PRINCIPAIS CARGAS - Desde a implantação da Refinaria Abreu e Lima - Rnest, no fim de 2014, o Porto de Suape vem se consolidando como movimentador de granéis líquidos (óleo diesel, gasolina, querosene de aviação, óleo bruto de petróleo, etc.) e chega ao final do ano mantendo a liderança nacional na movimentação desse perfil de carga. Até novembro deste ano, os granéis líquidos aumentaram 21,6% no acumulado do ano em relação ao mesmo período de 2015, alcançando a marca de 15,81 milhões de toneladas.

A chegada de óleo bruto de petróleo para ser processado pela Rnest teve um aumento de 67% de janeiro a novembro deste ano, em relação ao mesmo período de 2015. Foram 4,24 milhões de toneladas em 2016 ante 2,54 milhões no ano passado. A mercadoria chega por navegação de cabotagem com origem dos estados do Espírito Santo, Rio Grande do Norte e Santos.

Outro destaque do Porto neste ano foi o grande crescimento de importação e exportação de veículos. Até novembro, Suape enviou e recebeu 46.690 carros, sendo 13.860 importados e 32.830 exportados. As montadoras do grupo FCA (FIAT e Jeep) foram responsáveis por 71,8% do total de veículos, seguidas por Toyota, com 175, e por último, a GM, com 11,2%. Os principais países de origem e destino foram Argentina e México. O total de veículos deve chegar a 54.639 no fim de dezembro, o que representará cerca de 147% de aumento em relação a 2015, quando foram movimentados 22.124 carros.

Com relação aos outros perfis de carga, as conteinerizadas devem encerrar o ano com aumento de 4% na tonelagem, algo próximo a 4,72 milhões de toneladas. Até novembro, Suape movimentou 4,33 milhões de toneladas de cargas conteinerizadas ou, em TEUs, 357,05 mil. No mês de outubro, o Porto de Suape alcançou a melhor marca na movimentação de contêineres do ano, registrando 37,9 mil TEUs, um crescimento de 18,5% em relação a outubro de 2015. Esses números colocam Suape em 4º lugar no ranking de movimentação de contêiner, atrás dos portos de Santos (SP), Paranaguá (PR) e Rio Grande (RS).

A carga geral solta (que não vem em contêiner) acumulou 188,9 mil toneladas (de janeiro a novembro) e os granéis sólidos, 373,1 mil toneladas. No mesmo período, a exportação cresceu 78,4%, atingindo a marca de 1,63 milhões de toneladas de cargas que saíram do Porto de Suape e tiveram como principais destinos os países Singapura, EUA e Holanda. Em 2015, os produtos exportados somaram 917,8 mil toneladas de janeiro a novembro. Por outro lado, a importação sofreu uma queda de 4,4%, registrando 4,77 milhões de toneladas de cargas em 2016, contra 5,01 milhões de toneladas em 2015 (jan/nov).