Começou a operar, nessa segunda-feira (27), o primeiro navio a desembarcar uma carga no Pontal do Paraná. A embarcação chegou no domingo anterior, vindo da Turquia, e atracou na unidade offshore da Techint. A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) montou um sistema especial com a criação temporária de um novo berço.

Foto: Ascom/Appa
Primeiro navio descarrega cargas no Pontal do Paraná

De acordo com o diretor de Operações da Appa, Luiz Teixeira da Silva Junior, as peças a serem descarregadas – com dimensões variando entre dez e 19 metros de largura por comprimentos que vão de 22 a 33 metros – não poderiam ser descarregadas no Porto de Paranaguá. “Em função desta dificuldade, fizemos uma adaptação para atender este descarregamento direto no canteiro de obras da empresa. Então, criamos mais um berço no sistema, como se fosse uma extensão do Porto de Paranaguá. O navio passou pelos mesmos trâmites que qualquer outra embarcação que opera por aqui. Inclusive, uma equipe nossa acompanha essa descarga lá na planta do projeto da Techint, em Pontal”, afirma.

O navio trouxe 28 estruturas dos módulos que serão montados em Pontal (pancakes) e que integram o projeto P76, um navio-plataforma que está sendo construído pelo consórcio Technip/Techint para a Petrobras. A P76 será utilizada na exploração do pré-sal, com a capacidade de extração de 150 mil barris de petróleo por dia. 

A expectativa é de que todas as plataformas sejam desembarcadas em dez dias. Esta é a primeira leva de equipamentos que está sendo trazida da Turquia – onde os “pancakes” estão sendo produzidos. Nesta primeira carga, foram trazidas quase quatro mil toneladas de equipamentos. Para dezembro, está prevista a chegada de um segundo navio, trazendo as últimas plataformas e que totalizará 6,4 mil toneladas destas estruturas. 

De acordo com o gerente administrativo-financeiro do consórcio Technip/Techint, José Carlos Sá da Silva, o cais do canteiro de obras está sendo ampliado. “Acreditamos que nos próximos cinco meses terminaremos a construção. Serão 300 metros de cais, o que nos tornará aptos para receber o casco do navio que vai compor o projeto P76”, explicou. O casco do navio-plataforma virá da China, completamente montado. A expectativa é que esta estrutura chegue por volta de setembro do próximo ano.

As demais estruturas da P76 serão montadas no canteiro de obras da Techint, em Pontal. Atualmente, 850 pessoas trabalham no canteiro de obras. De acordo com Silva, 90% destes trabalhadores são do litoral. 

“A obra é muito dinâmica e demanda diferentes quantidades de trabalhadores, dependendo do estágio dos trabalhos. No pico das atividades, chegaremos a ter 2500 pessoas envolvidas no projeto”, disse. A empresa vem trabalhando sistematicamente na formação de mão de obra, principalmente de soldadores. “Já formamos mais de 1,2 mil pessoas”, afirma Silva. 

 

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente