• Em depoimento à CPI de Brumadinho nesta terça-feira (18), Fernando Henrique Barbosa, que trabalha há 18 anos na Vale, contou que, sete meses antes do rompimento da barragem, seu pai, com mais de 40 anos de serviços em mina, foi chamado às pressas, quase de madrugada, para ajudar a engenheira geotécnica Cristina Malheiros

  • Componentes podem ser de grande ajuda em atividades nas áreas de barragens colapsadas, como aconteceu neste início de 2019 em Brumadinho e novembro de 2015 em Mariana, ambos municípios localizados em Minas Gerais. A aplicação desses equipamentos também pode gerar benefícios em trabalhos programados de redução dos volumes nas barragens de rejeitos de mineração que eventualmente possam estar sob risco de rompimento

  • A expectativa é grande. Será apresentado, nesta terça-feira (2/07), o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais. O trabalho é do senador Carlos Viana (PSD-MG).

  • A Vale informa que está retomando nesta quinta-feira (6/6) a circulação dos trens de carga com operação regular no ramal Belo Horizonte da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM). A decisão foi tomada após uma empresa internacional de consultoria com atuação independente atestar que uma eventual onda gerada pelo deslizamento do talude Norte da cava da mina Gongo Soco não atingiria a ferrovia.

  • Objetivo é atingir meta de 70% até 2023; para chegar ao atual patamar de 60% de mineração a seco a empresa investiu R$ 66 bilhões nos últimos dez anos

  • A VLI, empresa responsável pela administração e operação exclusiva do Tiplam, esclarece que a cava submersa do Canal de Piaçaguera não apresenta risco ao ecossistema aquático, comunidade, fauna e flora da região, como sempre foi reforçado pelo órgão aprovador e fiscalizador competente - Cetesb - e comprovado pelos estudos exigidos pelos órgãos ambientais, para aprovação do projeto, e realizados pela empresa.