Em consonância aos "tempos modernos" onde, diferentemente do filme homônio de Charles Chaplin, a sociedade não aceita mais com naturalidade comportamentos em desacardo com o convívio humano saudável, a operadora portuária e logística Santos Brasil informa que acaba de implementar sua Política de Direitos Humanos. Nela, estão estabelecidas, segundo a empresa, diretrizes básicas de respeito, promoção e preservação dos direitos essenciais nos relacionamentos com seus clientes, funcionários, fornecedores e terceiros, em toda a sua cadeia de valor e em sua esfera de influência.

Essas diretrizes reforçam o repúdio a qualquer envolvimento ou associação ativa ou passiva em situações que caracterizem trabalho infantil, trabalho forçado ou compulsório, discriminação e violência em todas as suas formas, assédio moral ou sexual, exploração sexual de crianças e adolescentes, entre outras questões sociais.

“Nossa política de Direitos Humanos está alinhada com a crença do importante papel das organizações privadas na promoção de valores fundamentais como cidadania, democracia, igualdade, segurança e justiça”, explica Raquel Ogando, gerente executiva de Comunicação, Sustentabilidade e Inteligência Competitiva da Santos Brasil. “O estabelecimento de diretrizes claras transmite segurança e desperta em nossos funcionários o olhar atento e alerta para que se tornem agentes de promoção dos direitos humanos, contribuindo, inclusive, para sua atuação além dos muros da empresa”, ressalta.

Signatária
Construída com base na visão, missão e valores da companhia, a nova política está alinhada aos princípios estipulados na Declaração Universal de Direitos Humanos e no Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual a Santos Brasil é signatária desde 2013. Também está de acordo com a legislação brasileira, aos valores pactuados internacionalmente pelo Brasil e às políticas de Compliance e de Sustentabilidade da empresa.

A Santos Brasil foi criada há 19 anos para operar terminal de contêineres no Porto de Santos (SP), e já investiu R$ 3 bilhões, calculados a valor presente, em aquisições, expansões, novos equipamentos, tecnologia e recursos humanos. Antecipando-se ao crescimento do fluxo de comércio internacional, a Santos Brasil colaborou significativamente para aumentar a capacidade logística portuária do País. Hoje a companhia opera mais dois terminais de contêineres – Vila do Conde (PA) e Imbituba (SC), um terminal de carga geral (TCG Imbituba) e um terminal de veículos (TEV) no Porto de Santos.