Combustível teve alta de 2,97% e chega a ser 6% mais caro que a média comercializada na Região Sul

Junho confirmou a tendência dos primeiros 15 dias e terminou com os valores mais altos para os combustíveis em todo o País, revela o último levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL). A Região Sudeste acompanhou esse comportamento e apresentou alta para a gasolina, o etanol e o diesel em todos os Estados. A gasolina, que em maio era vendida a R$ 4,077 o litro, foi encontrada em junho pelo valor médio de R$ 4,198, um avanço de 2,97%. Com isso, o combustível vendido no Sudeste foi considerando o mais caro do País, e chegou a ser 6% mais caro que a média registrada na Região Sul (R$ 3,940), considerada a mais barata de todo o território nacional.

Com alta de 3,23%, o etanol passou de R$ 3,030, em maio, para R$ 3,128, em junho. Já o diesel, que no quinto mês do ano era encontrado nas bombas por R$ 3,091, teve um acréscimo de 1,91%, com o litro médio vendido a R$ 3,150.

"Em junho, tivemos o primeiro mês do ano com alta nos preços dos combustíveis. A gasolina ficou mais cara em todo o País, mas o valor mais alto está no Sudeste. Com isso, temos uma mudança no cenário, já que em abril e maio o litro mais caro para esse combustível era registrado nos postos da Região Norte", afirma o head de Mercado Urbano da Edenred Brasil, Douglas Pina.

Embora todos os Estados da região tenham apresentado aumento no preço dos combustíveis, o ranking das médias não sofreu alterações. O Rio de Janeiro continua com os maiores valores de toda a região, e comercializou o diesel por R$ 3,276 (+1,9%) o litro, a gasolina a R$ 4,565 (2,9%) e o etanol por R$ 3,659 (+2,4%). Na capital fluminense, a zona sul apresentou as maiores médias para todos os tipos de combustível, enquanto o etanol e o diesel foram vendidos com melhores preços na zona norte, e a gasolina esteve mais barata nos postos da zona oeste.

Em São Paulo, os índices de aumento foram maiores, porém o Estado ainda tem os preços mais baixos. O etanol vendido nos postos paulistas teve um acréscimo de 5,4%, em relação a maio, com preço médio final de R$ 2,504. O aumento da gasolina foi de 3,1%, e o combustível foi encontrado a R$ 3,880. Já o diesel teve o menor aumento entre os três, 2,2% e foi vendido a R$ 3,042. Na capital paulista, a zona leste concentra os melhores preços para todos os combustíveis, enquanto a zona sul tem os maiores valores para o diesel e a gasolina, e os postos do Centro apresentam o etanol mais caro.

O etanol comercializado em Minas Gerais teve o segundo maior aumento da região, 4,6%, e foi comercializado a R$ 2,881. A gasolina e o diesel tiveram aumento de 2,6% e 2,2%, respectivamente, nas bombas mineiras. Já o Espírito Santo foi o Estado com os menores aumentos de toda a região para o diesel (1,3%) e o etanol (1,45%). O mesmo não ocorreu com a gasolina, que passou dos R$ 3,953, de maio, para o valor médio de R$ 4,085, em junho, um incremento de 3,3%, o maior da região.

Ainda de acordo com o estudo realizado pela Ticket Log, os preços apresentados em junho demonstram que, embora existam perfis diferentes em cada veículo, foi mais vantajoso financeiramente abastecer com gasolina no Espírito Santo e no Rio de Janeiro, enquanto em São Paulo e Minas Gerais o etanol teve a margem de vantagem acima de 70%.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

  escreva corporativas

O que você achou? Comente