• A direção da Ultracargo se manifestou oficialmente após a assinatura de acordo para a compensação de parte dos danos causados pelo incêndio que atingiu o terminal da empresa instalado no Porto de Santos em abril de 2015

  • A Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP) entregou oficialmente ao complexo portuário do Itaqui um novo carro ABT (Auto Bomba Tanque). A iniciativa integra as ações do Termo de Cooperação celebrado entre a EMAP e o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Maranhão (CBMMA)

  • Aconteceu na noite desta segunda-feira (29/02), em um galpão da empresa Conexão Maritíma incêndio de grande proporção. A empresa fica localizada na BR 101, bairro Salseiros em Itajaí.

    Itajai 1 2016

    Foram empregadas no local para controlar as chamas sete viaturas do Batalhão de Bombeiros Militar de Itajaí, um caminhão tanque de Balneário Camboriú e mais três de Blumenau e Brusquue prestando suporte.

    O galpão possui 21.000 metros quadrados e foram salvos 15.000 meltros quadrados. A empresa estimou ainda na madrugada que cerca de R$15.000.000 em mercadorias foram salvas graças ao combate do incêndio realizado pelo Corpo de Bombeiros.

    Foto: Aspirante Maccarini e Soldado Sofia

  • A Localfrio se comprometeu a divulgar, a partir do dia 17 último, um laudo parcial sobre o grave acidente ocorrido, em 14 de janeiro último, em seu terminal em Vicente de Carvalho, na margem esquerda do Porto de Santos, quando pegaram fogo mais de 50 contêineres com produtos químicos, entre eles ácido dicloro isocianídrico. A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), autoridade portuária local, também prepara relatório sobre as ações e dificuldades enfrentadas pelas equipes de emergência.

    Leia também
    Portos: explosões e lições nunca aprendidas
    Incêndio na Alemoa: onde não há informação, há boataria

    O presidente da Codesp, José Alex Botelho de Oliva, solicitará à Localfrio informações sobre a causa da ocorrência e implantação de medidas para evitar ocorrências similares. “A empresa deverá encaminhar um plano de ação para efetuar medidas para corrigir as não conformidades ocorridas durante o sinistro, no que tange a mitigação dos impactos ambientais.”

    A apuração das responsabilidades também envolverá instituições dos governos do estado e federal, como o Corpo de Bombeiros, a agência ambiental estadual (Cetesb) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente. O incêndio liberou fumaça que deixou, principalmente, as cidades de Guarujá e Santos em estado de alerta e provocou a ida de centenas de moradores aos hospitais locais com sintomas de intoxicação respiratória. Ainda há a apuração da morte de duas pessoas após o incêndio por complicações respiratórias.

    Já o Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema), ligado ao Ministério Público Estadual, quer

    ...