• Teoria convencional do consumo e da poupança

    Economistas ortodoxos criticam os autores heterodoxos porque, supostamente, subscreveriam o modelo de formação de hábito, que sugere que o consumo não responde às elevações da renda que sejam percebidas como permanentes, como sugerido pelo modelo tradicional.